Pular para o conteúdo principal

Eleição completamente aberta em Aracaju segundo pesquisa do IFP

Uma pesquisa realizada pelo Instituto França de Pesquisas, IFP, entre os dias 27 e 30 de dezembro, ouvindo 968 pessoas num universo de 407.888 de eleitores de Aracaju com margem de erro de 3,1%, revela um embate completamente aberto, apesar da liderança do atual prefeito Edvaldo Nogueira em diversos cenários.
O instituto colocou à disposição do eleitorado aracajuano um questionário para saber quem ele gostaria que governasse a capital a partir de janeiro de 2021.
Edvaldo que está pré-candidato desde meados de 2019, e com obras em diversas localidades, deveria aparecer com um favoritismo mais largo, considerando ser candidato único até o momento.
Outra marca que desfavorece o pretendente à reeleição é a sua liderança na rejeição, diante do conteúdo de serviços e ações que tem sido apresentado para os eleitores aracajuanos.
Numa possível candidatura do deputado estadual Gilmar Carvalho, ainda no PSC, Edvaldo perderia no segundo turno da eleição para os cidadãos que responderam a pesquisa do IFP. Quem também venceria o atual prefeito num confronto direto seria a delegada Daniele Garcia, possível candidata do Cidadania.
Muita movimentação e surpresas devem ocorrer como acontece em todas eleições, o que mudam os resultados alcançados a cada aferição da vontade do eleitor.
Um analista político me fez um breve comentário, relembrando que o perfil do eleitorado aracajuano é mais identificado com a esquerda, além de não permitir o mesmo comandante no executivo por tantos anos. "É histórico esse comportamento do eleitor nas eleições de Aracaju", disse ele. Vamos em frente.

Comentários

Mais Lidas

Candidatos devem ter no mínimo 10% de votos do quociente eleitoral

Até abril os partidos estarão trabalhando para organizar suas chapas proporcionais, que este ano traz mudanças para a apuração dos candidatos que serão considerados eleitos. Era comum que alguns eleitores e até mesmo candidatos e políticos que não conheçam muito bem o processo eleitoral brasileiro, se questionem quando um candidato recebe mais votos e mesmo assim não é eleito, enquanto a vaga fica com um político menos votado.
Os parlamentos estão cheios de "eleitos" com pouquíssima representatividade, mas, foram favorecidos pelas regras que só sofreram mudanças a partir da eleição de 2020, quando serão escolhidos os prefeitos, vice e vereadores dos municípios de todo Brasil. Para chegar as composições das Casas Parlamentares este ano, os partidos não poderão fazer coligações, o que implica em alcançar o Quociente Eleitoral com os seus próprios candidatos. Como encontrar o Quociente Eleitoral? Para encontrar o quociente eleitoral é preciso saber o número de votos válidos dos res…

O Fundo do Poço de Ismael!

Fundador do Partido dos Trabalhadores em Sergipe, ex-deputado estadual, candidato a prefeito de Aracaju pelo PT, e político atuante à época, Ismael Silva, que anda fora da cena política atual, faz um desabafo do que vem ocorrendo no Brasil, e critica duramente o comportamento do ex-presidente Lula, principalmente, numa relação que ele diz existir entre o PT e o narcotráfico. O ex-petista assegura no seu artigo que o "PT, definitivamente tornou-se na sua cúpula uma organização criminosa". A seguir, o artigo na íntegra de Ismael Silva, extraído de sua página no facebook:
"O FUNDO DO POÇO!
Meus amigos(as), tenho adiado tratar esse assunto aqui já há algum tempo. Mas não dá mais pra segurar. A coisa passou de todos os limites! Me refiro ao nível de envolvimento de Lula e do PT, com o narcotráfico no Brasil! Já são inúmeras as provas dessa relação associativa. Áudios, discursos sinalizando o compromisso com o crime. E agora agradecimento público de financiamento das despesas e i…

E Jackson Barreto? Para onde vai?

O que ficou decidido na reunião do Partido dos Trabalhadores que ocorreu nesta quinta-feira, 9, é que o PT terá candidatura própria, e até o final do encontro, o único nome colocado para disputar a eleição de Aracaju foi o de Márcio Macedo, que contou com o apoio de lideranças da sigla, como a vice-governadora Eliane Aquino, o senador Rogério Carvalho, e outros filiados expressivos. As justificativas declaradas por alguns que usaram da palavra durante a reunião, pontuavam entre a necessidade do PT retomar sua história política na capital, quando liderou o processo com Marcelo Deda, e também da ausência de Edvaldo Nogueira nas lutas que os petistas lideram em todo país. O impeachment de Dilma e a caravana Lula Livre foram citadas para enfatizar o comportamento disperso do atual prefeito de Aracaju. Para o senador Rogério Carvalho, Edvaldo preferiu adotar uma postura de bom gestor, e abandonou a luta política que o PT liderava, para caminhar ao lado do ex-deputado federal André Moura, à é…